Close

Elos começa neste com artistas locais, nacionais, internacionais e torneios esportivos

  • Home
  •  / 
  • Notícias
  •  / 
  • Notícias
  •  / 
  • Elos começa neste com artistas locais, nacionais, internacionais e torneios esportivos

Elos começa neste com artistas locais, nacionais, internacionais e torneios esportivos

Apresentações de música, teatro de rua e dança, com artistas locais, nacionais e internacionais, além de sessões no Planetário, programação esportiva, ações de lazer e saúde, feira com exposição de artesanatos e praça de convivência com sinuca, totó e fliperama, tudo isso em um só evento. É isso mesmo, o Festival Elos – Ações que transformam o Mundo volta a acontecer em 2021 e traz, em sua terceira edição, uma programação bem diversificada para fazer o público participante vibrar. 

Lembrando que o evento segue todos os protocolos de segurança sanitária, os espaços terão controle de entrada de acordo com a capacidade de cada lugar e os participantes só terão acesso ao Elos usando máscara e apresentando o passaporte de vacinação. A programação é totalmente gratuita. 

O evento será realizado nos dias 11 e 12 de dezembro, em uma programação descentralizada que ocupará diversos pontos da capital cearense: Centro de Eventos do Ceará, Praia de Iracema, Poço da Draga, Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, Porto Dragão e no Centro de Formação Olímpica  (CFO), em uma programação múltipla, plural e acessível

A programação cultural do Festival Elos está repleta de emoções, saiba mais sobre cada ambiente que o evento terá. 

Palco Música – Centro de Eventos

Os shows principais serão realizados no Centro de Eventos. Lá terá o Palco Música, espaço em que se apresentarão nomes consagrados da música popular brasileira, ao lado de expoentes locais e artistas nacionais da nova geração.  No dia 11, sábado, às 19h, o evento será aberto pelo Cearás do Amanhã com Cláudio Mendes, uma relevante iniciativa da Quitanda Soluções Criativas, empresa responsável pela realização do festival, de dar visibilidade a quem está começando. 

O grupo fará um espetáculo musical  com o objetivo de impulsionar encontros sonoros entre as várias gerações de artistas do Ceará, promovendo uma grande mistura de sons, estilos e cores. A cada show, o projeto convida diferentes nomes da cena musical cearense para somarem-se no palco, resultando um grande ponto de trocas artísticas. Para o Festival Elos, o projeto recebe artistas como Di Ferreira, Jeffe, Luiza Nobel, Adna Oliveira, Carú Lina, Má Dame, o grupo Filhes de Ninguém e jovens estudantes de música da plataforma Sinfonias do Amanhã.

Dando continuidade a programação do sábado virá a apresentação da DJ Priscilla Delgado. Priscila, além de DJ é militante da cultura, produtora, gestora cultural e pesquisadora musical dos gêneros oriundos da América Latina e colecionadora de vinis. Responsável pelos projetos Viva La Pachanga, Castilho Delgado, She Loves e Women of Reggae, já participou de importantes festivais em Fortaleza: Festival Latino-americano das Juventudes, Reggart – Mostra da Cultura Reggae no Ceará, Feira da Música, Maloca Dragão, Circo de Todas as Artes e Festival de Música da Juventude.

A atração principal do evento é a cantora Gal Costa, que fará sua apresentação também no dia 11, com o espetáculo “As Várias Pontas de Uma Estrela”. O projeto da artista existe desde 2016 e consiste em um show alinhavado a partir da obra de Milton Nascimento. As várias pontas de uma estrela é o nome de música composta por Milton em parceria com Caetano Veloso, tendo sido lançada há 39 anos no álbum Ânima (1982), em gravação que juntou os autores da música.

Já no dia 12, a partir de 18h30, o Palco Música contará com as apresentações dos DJs do Projeto Ifé. Um é músico, curador musical de vários espaços da cidade e produtor cultural conhecido nas terras alencarinas. O outro é um experiente Dj, que já dividiu o palco com grandes nomes da música brasileira, como Moraes Moreira e Olodum. Estamos falando de Tauí Castro e do Dj Tai que, juntos, se lançam nesse projeto que busca olhar para o passado para assim ressignificar o presente e construir o futuro. 

Após isso, será a vez de Mateus Fazeno Rock e convidados mostrar seu potencial no palco principal do Festival Elos. A apresentação do artista é composta por rock de favela com influências do grunge, punk,  funk br, rap, reggae/dub e r&b.  Ele teve seu disco de estreia lançado durante o ano de 2020, intitulado Rolê Nas Ruínas. Acompanham o trabalho do Mateus quatro clipes e uma movimentação através de lives, podcasts e outras ações realizadas durante a pandemia. 

Além dele, os participantes do evento também poderão assistir o show de Almério & Martins, dois grandes artistas pernambucanos da contemporaneidade. A apresentação traz momentos em duo e em solo, ora trazendo força e empoderamento, ora incorporando afeto e acolhimento por meio da música. De forma complementar, Almério em sua potência e Martins em sutileza cantam o amor, a vida e o existir. 

E por fim, mas não menos importante, o Festival Elos apresenta o último show do Palco Música. Outra atração de peso que estará presente no evento será o Francisco Ribeiro Eller, mais conhecido como Chico Chico, que fará a apresentação do seu disco solo “Pomares”. Mas a verdade mesmo é que a palavra “solo” não combina com ele. Chico nunca está sozinho, sempre traz uma grande e talentosa família junto. E não estamos falando apenas das mães do artista, Cássia Eller e Maria Eugênia, já conhecidas do público. Mas de outros artistas de seu grande grupo de amizades, que vem desde 2009, da época em que formou suas primeiras bandas, ainda na escola.

Para ter acesso ao Centro de Eventos, nos dois dias, além do ingresso, os participantes deverão doar 1kg de alimento que será direcionado ao Programa Mesa Brasil do SESC e para o Natal Sem Fome, campanha de solidariedade do MST.  

Como o movimento de ocupação da cidade está no DNA do Festival Elos, o evento foi descentralizado e também ocupará outros espaços de Fortaleza. 

 

Palco Sesc Sonoridade – Porto Dragão

No Porto Dragão, as participantes do evento terão acesso ao Palco Sesc Sonoridade. A programação iniciará às 19h do sábado com Jocasta Brito,  na voz e violão. A artista que se define como “atore, cantore, compositore e backing vocal” fará apresentação do show: “Dentro de minha barriga mora um pássaro, dentro do meu peito, um leão. Este passeia pra lá e pra cá incessantemente. A ave grasna, esperneia e é sacrificada.” Após isso, será a vez de Bruna Ene. Ela é cantora e compositora e sempre teve a música como sua grande paixão. Após experiências como vocalista em algumas bandas no estado do Ceará, iniciou sua carreira solo em 2018. O single “Só”, com clipe gravado em Paris, tem mais de 50.000 plays no Spotify, e mais de 50.000 plays no Youtube.

No domingo, a partir das 19h, a abertura da programação ficará por conta do grupo Viramundo. Natural de Fortaleza, o grupo é a estação criativa de Vic Andrade, Marcello Santos e Bruno Esteves, juntes eles cruzam tradição e a experimentação.  No show “Fortalezas”, apresentam as canções presentes no seu primeiro EP, canções inéditas e músicas do cancioneiro tradicional. O trio possui uma presença marcante das percussões que conduzem as composições da banda através de uma diversidade de ritmos e timbres característicos da música brasileira afro diaspórica. Por conta disso, Viramundo aborda temáticas caras a esses territórios de enfrentamento. 

Após o Viramundo será a vez do show de Zéis, que propõe uma experiência estético-sonora, uma imersão poética nas diversas fases de sua carreira. Busca na sua energia rockeira e nas suas referências da música popular brasileira algo que estabeleça elementos que conectam as pessoas. Suas canções transmitem a sensação de lugar seguro, onde encontramos paz para nos conectar com aquilo que nos move adiante. No repertório, além de seus lançamentos mais recentes Vai Ter Carnaval, Menino Velho, Fevereiro e Saudade Mata Nós – presentes no seu EP A Rede, o Peixe e o Ar – o músico explora ainda canções de diferente instantes de sua carreira, como a canção Traços Simples, que ganhou destaque nas plataformas de streaming. 

 

Programação no Dragão do Mar

Em parceria, o Festival Elos e a XIII Bienal Internacional de Dança do Ceará trazem o suíço Yann Marussich para apresentar alguns trabalhos performáticos de seu repertório no Museu de Arte Contemporânea do Ceará. No sábado (11), às 16h, o renomado artista apresentará “Pot-Pourri” (2021), onde o artista mergulha em uma banheira de arroz e usa um respirador, e no domingo (12), às 18h, será a vez “AGOKWA” (2016), nome que os nativos americanos dão a homens que vivem e se vestem como mulheres. O acesso às apresentações está sujeito à apresentação do passaporte sanitário e à retirada antecipada de até um ingresso por pessoa no site da Sympla  (https://www.sympla.com.br/produtor/bienaldedanca).  

Também fruto da dobradinha com a Bienal, Jorge Garcia, um dos mais conceituados coreógrafos brasileiros da atualidade, apresentará, no domingo (12), às 20h, no Teatro Dragão do Mar, o solo “Nihil Obstat” (2009), onde transborda em cena a liberdade e a possibilidade de transformação do lugar, do momento e do próprio corpo. Nihil Obstat (em latim Nada Impede) é a aprovação oficial do ponto de vista moral e doutrinário, realizada por um censor da igreja católica, de uma obra que aspira ser publicada. Também gratuita mediante a exibição do passaporte vacinal, a apresentação também requer a retirada antecipada de até um ingresso por pessoa no site da Sympla.

 

Palco Praia – Poço da Draga

O Festival Elos, que tem a praia no seu DNA desde a primeira edição, não poderia estar longe do mar. Uma programação no Poço da Draga reunirá ações de lazer e saúde, através da tenda do SESC. As atividades iniciarão às 9h do sábado e do domingo. 

E no final da tarde o pôr do sol está garantido com apresentações de coletivos de DJs. No sábado, dia 11, a partir das 16h30, quem se apresenta é Coletivo Mais, ativo na cena fortalezense desde 2013,  nasceu com a proposta de discotecar músicas, nacionais e internacionais, que levem o público a redescobrir e a descobrir músicos e ritmos livres de rótulos. Formado por Aguirre Fontoura e Lara Monteiro, o coletivo se coloca no cenário local como propagador da atemporalidade musical, mesclando em seus setlists clássicos e contemporâneos de todo o mundo.

No domingo a programação também iniciará às 18h, com o coletivo de Djs Duo Femina, que nasceu de um desejo de mulheres DJs de se unirem com propostas distintas de sonoridades para revezarem nas pick ups, passeando por diversos gêneros musicais como: música eletrônica com influências latinas, brasilidades e house. Integraram o coletivo Mulheres na Line e já se apresentaram em espaços públicos e bares da cidade de Fortaleza e região.

Os participantes do Festival Elos também terão acesso ao Planetário Rubens de Azevedo nos dias 11 e 12 para assistir “Da Terra às Galáxias”, uma sessão para jovens e adultos, que iniciará às 19h.  

Espaço Praia de Iracema – Rua dos Tabajaras

O coração da noite de Fortaleza, a Praia de Iracema, também terá apresentações do Festival. A Rua dos Tabajaras receberá um palco especial, com programação a partir das 18h. O primeiro artista a se apresentar no local, no dia 11 de dezembro, será o Coletivo Festa Crioula, que já somou durante a sua existência, desde 2018, mais de 20 trabalhos com parcerias com artistas do circuito LGBTQ e preto da cidade. O projeto é formado pelos Djs Amanda Quebrada, Lolost e Viúva Negra, Ellicia Marie; perfomers e cantora com Muriel Cruz, Ellicia Marie e o audiovisual é da Bárbara Moura. 

No mesmo dia, Caio Castelo sobe ao palco, acompanhado por Ayrton Pessoa nos teclados, Ednar Pinho no baixo e bateria. Caio reflete sobre temas como o tempo, a impermanência, os encontros e a importância do afeto. O show conta com a participação da Mulher Barbada, com quem Caio lançou em parceria seu single mais recente. Neste primeiro show presencial após quase dois anos, o cantor, compositor e produtor musical toca canções de seus três álbuns, além de algumas inéditas.

Ainda no Palco Tabajaras haverá a apresentação do cantor, compositor, produtor musical, sonoplasta e DJ Benjamin Arquelano, que em sua banda conta com as contribuições de Théo Fonseca e Emília Schramm. Em seu trabalho explora as vertentes da música eletrônica (com influências da MPB, Pop, R&B e Soul) e audiovisual partindo da poética de sua vivência como jovem negro, LGBTQIA+ e periférico, que diariamente realiza o percurso entre duas cidades cearenses: Maracanaú e Fortaleza.

No domingo, dia 12, também às 16h30, o público poderá curtir a apresentação da Rebel Women, que iniciou 2019, em Fortaleza. O projeto é idealizado por mulheres que se denominam rebeldes e atualmente é formado por 5 Djs e produtoras do estilo musical Reggae Music.

Em seguida, é a vez do Ghetto Roots. O grupo iniciou em 2007 na favela do Dendê, com o intuito de incentivar o protagonismo juvenil através da arte. Mistura a cultura reggae com a linguagem urbana da cultura hip-hop, através de músicas que levam mensagens positivas e prega a cultura de paz, a superação e o respeito à vida, tendo como base o compromisso com a arte, que é a maior ferramenta de transformação social para a conscientização das pessoas, captando a essência do gueto nas mais diversas formas de apropriação da cultura nas periferias. 

 E o encerramento da noite ficará por conta do grupo Forria. Lançada no álbum de estreia, em 2018, que circulou em praças, carnavais e festivais do Ceará, a Forria retorna do hiato para inaugurar nova fase artística expandindo seu som. Os primeiros frutos desta fase foram lançados na série No Meio de Casa, quando a banda adaptou-se ao período não presencial e produziu vídeos para YouTube e Instagram. O sucesso do projeto resultou em convites para festivais nacionais e internacionais. A Saudade É o Mote do Novo, no Festival Elos, experimenta novas composições e músicas já conhecidas do grupo em seu reencontro com o público. 

E ainda tem mais: teatro, praça de convivência e feira de artesanatos

   Como o objetivo de proporcionar múltiplas experiências, o Festival Elos ainda disponibilizará para o público presente apresentações de teatro de rua do grupo Desequilibradoz, com o espetáculo “Junto e Misturado” no dia 11. No dia 12, será a vez do grupo Aquarela com o espetáculo “Circolarizando”. As apresentações serão feitas na rua dos Tabajaras, a partir das 18h

O grupo Desequilibradoz foi formado em 2016 e surgiu da inquietação de amigos, atores e amantes do circo, teatro e arte de rua, sobre a importância das práticas artísticas em um contexto social e informacional para disseminação de conhecimento e fortalecimento da cultura. A amizade gerou um núcleo familiar que compartilha o riso através de seus espetáculos. Os Desequilibradoz, consciente de seu trabalho, procura realizar estudos visando defender o desenvolvimento da cultura popular nordestina, circo teatro e o teatro de rua. 

Como um encontro multicultural, o evento conta ainda com uma praça de convivência boulevard – com sinuca, totó e fliperama e com o Espaço ENEL Cultura, onde serão apresentadas experiências exitosas de projetos socioculturais apoiados pela empresa e que trará uma exposição de experiências de responsabilidade social. No local também haverá distribuição de álcool e máscaras, além das ações do Espaço Cuca, com a exibição do documentário “Árvores para que te quero “, realização de quizzes e outros jogos, além de realizar rodas de conversa para debater e ensinar sobre temas relacionados a flora e arborização, distribuição de mudas, troca de livros por mudas e brechó Escambo Desapega, ações do “Clube da Ciência Itinerante”, aplicação de jogos e brincadeiras educativas que envolvem o ambiente marinho e costeiro durante as ações com os voluntários.  

“O Elos também se fortalece na busca por provocar novos modelos possíveis de diálogos entre as iniciativas institucionais e o cotidiano de Fortaleza e das pessoas que aqui vivem. O nosso objetivo também é abrir janelas entre o público e ferramentas de inovação social. E por isso, em  2021, o Festival trará a Feira Negra, dando visibilidade a iniciativas que, muitas vezes, não conseguem ter acesso ao grande público”, ressaltou Paulo Feitosa, diretor do Festival. 

A feira busca garantir espaços para o empreendedorismo negro, buscando o fortalecimento da autonomia financeira, a convivência, a valorização e a divulgação da produção cultural da população negra da cidade

Ainda dentro da programação do Festival Elos terá o Rueira – Circuito Tabajaras de Feiras Criativas. O evento reúne expositores do circuito de feiras realizadas e apoiadas pela Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor), em parceria com o Instituto Cultural Iracema. A ação integrará a programação do Festival Elos e contará com as participações das Feiras Orgânica, Zen e Lá Grue, importantes movimentos criativos que promovem o encontro de produtores locais e apreciadores de ideias coletivas e participativas. A Rueira tem como objetivo incentivar a economia circular por meio do apoio direto e fomento a feirinhas que reúnem expositores dos mais variados segmentos de moda autoral, moda sustentável, artes, artesanato, design, decoração e gastronomia, num só ambiente. 

Numa grande articulação com federações esportivas, a Arena Elos receberá as etapas dos circuitos estaduais de cada modalidade dentro da programação. 

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA

Sobre o Elos 

O Festival Elos e a Arena Elos são realizações da Quitanda Soluções Criativas e do Instituto BR. Contam com a Produção Executiva da Cinco Elementos Produções e Consultoria Executiva, Marco Zero. O Festival Elos também possui o apoio cultural da Fecomércio, Sesc, e da Prefeitura de Fortaleza, através do Instituto Cuca e do Instituto Iracema. A Arena Elos conta com o apoio das Federações Cearenses de Vôlei de Praia, Tênis e Beach Tênis, BMX e Skate. Apoio institucional do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura (Secult), da Secretaria do Esporte e Juventude e da Secretaria do Turismo. Agradecimentos: Enel e TIM.